Programa Carlos Henrique

Permacultura: A necessária redescoberta da natureza e seus (bons) usos

Antigas práticas combinadas a métodos modernos de uso dos recursos naturais - e de forma sustentável - estão voltando a rotina de muita gente, reinventando práticas e contribuindo para um novo pensamento com relação ao meio ambiente. Este e outros detalhes foram destaque no bate-papo de Carlos Henrique com Viglio Schneider, do Instituto de Permacultura do Vale do Itajaí (IPEVI)

Pode acreditar, há muito mais no jardim lá fora do que você vagamente imagina. Você que tem a sorte de ter uma casa ou o condomínio próximo a uma boa área verde pode estar, neste momento, apenas contemplando a beleza do lugar, com suas folhas e flores molhadas pelo orvalho, pássaros cantando e gorjeando por entre os galhos das árvores e o vento vindo em várias direções cortado por entre os troncos.

No entanto, esta simples relação de contemplação – ou preocupação com a destruição desenfreada que assistimos – está mudando e para melhor. É possível, mesmo em tempos de agitação e exploração agressiva dos bens naturais, pensar em formas sustentáveis, positivas e funcionais de fazer da natureza a sua volta a aliada que, em tempos antigos, já fora. Práticas do tempo de nossos pais e avós combinadas a conhecimentos modernos de manejo do solo e uso do meio dão corpo ao que é chamado pelo pomposo nome de permacultura.

Na fuga do cerco da industrialização de produtos, o homem tem se voltado – aos poucos, mas de forma constante – à práticas saudáveis e sustentáveis em busca de uma qualidade de vida perdida em algum momento da história. Começou na mesa, com a alimentação saudável e os vários elementos que colorem e tornam mais saudáveis as refeições pelo mundo afora, passando enfim para vários pontos da vida humana, que recorre a eles em busca de uma vivência mais próxima da natureza, da naturalidade, do simples que dá muito certo, do sustentável.

E exemplo dessas atitudes encampadas na permacultura estão cada vez mais tomando conta da rotina de muitos. Telhados verdes que regulam a temperatura em residências, o bambu que ajuda em construções e na produção de utensílios, o uso da madeira sem a marca da agressividade, isto sem contar do clássico: as hortas e até mesmo verdadeiros jardins onde tudo que alimenta uma família pode estar ali. Métodos que enchem os olhos e que sempre estão em expansão e redescoberta, renascendo da antiguidade ou nascendo do moderno manejo.

Uma aldeia que cresce cada dia mais e que encontra também no Vale do Itajaí uma instituição dedicada ao fomento desta forma de ver e usar o meio: é o Instituto de Permacultura do Vale do Itajaí (IPEVI), criado como um coletivo com o intuito de promover estas iniciativas que estão mudando a forma de pensar e usar o meio ambiente. A instituição reúne entusiastas para o desenvolvimento conjunto de técnicas e troca de experiências, tudo com o toque verde que uma iniciativa destas traz e precisa.

E foi na terra do IPEVI, em Blumenau, que Carlos Henrique encontrou respostas e detalhes especiais sobre a permacultura e seus detalhes específicos, entre suas várias atividades, seu pensamento sobre o meio ambiente e sobre a sua presença no mundo. Quem conta mais sobre o assunto é quem integra este grupo de abnegados que reinventam a forma de conviver e utilizar o natural: Vigilo Schneider, que também fala das atividades do Instituto, ainda recentes mas muito frutíferas.

Confira:

Tags
Show More

Related Articles